domingo, 25 de agosto de 2013

A realidade social de quem mora na periferia


Caminhando hoje (25), pela costa da praia mais frequentada no verão pelos tarauacaenses e também por quem vem de fora, que fica localizada no maior bairro da cidade, Senador Pompeu, popularmente conhecido como “Bairro da Praia”, justamente por suas belas praias localizada na margem direita da confluência dos Rios Tarauacá e Muru, pude observar as moradias simples de um povo humilde que busca na periferia das cidades um refúgio para sobreviver.

Vindos da zona rural vão construindo como podem suas casas de forma desordenadas e conseguem mesmo na adversidade encontrar meios para provir o sustento de suas famílias. Plantam verduras para vender em um pequeno espaço de terra e no inverno sofrem com as cheias dos rios e em muitos casos são obrigados a abandonar suas casas por conta das fortes enchentes.

O Bairro da Praia por ser o mais populoso da cidade e onde se concentra o maior número de bares e clubes e ainda belas praias, deveria ter um olhar diferenciado dos nossos governantes. As crianças não dispõe de quadra de esporte, campo de futebol, centro de multimeios com laboratório de informática, cursos profissionalizantes e outras atividades que pudessem dar formação e cidadania as famílias carentes de nossa cidade. O Centro da Juventude que seria construído no bairro até hoje não saiu do papel.

As imagens abaixo não são da zona rural é parte do bairro que fica as margens do rio. É chocante que em pleno século XXI, ainda tenhamos pessoas vivendo em situação inóspita relegada à própria sorte. Ações governamentais precisam ser implementadas para que as pessoas menos favorecidas adquiram assim sua cidadania plena.











 

Nenhum comentário:

Postar um comentário