terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Preceitos Familiares


 

imagem ilustrativa da internet
Enquanto muitos estão preocupados em fazer comentários fora de propósito nas redes sociais a respeito da violência que se espalha pelos quatro cantos do país e colocam a culpa nos governantes, esquecem que todos nós (sociedade), temos participação efetiva na condução dos preceitos que atingem a família.

As Leis fragilizadas pelo tempo, os avanços das tecnologias, a banalização do sexo, da transformação dos conceitos familiares, são alguns dos motivos de descaracterização da sociedade. Ou então veremos: crianças entre oito e doze anos são levadas a assistir a programas de televisão que induzem a se comportar como se fossem adultas e estabelecer uma relação de igual para igual com seus pais. Exemplo disso são as mininovelas “Malhação” e “Rebelde”, diante de tanta exposição negativa o conceito de Família vai ficando ultrapassado e quem ousa a pôr limites e chamado de conservador ou reacionário.

O modelo adotado pela sociedade não põe limite do que certo e o que é errado. Vimos nos últimos tempos se noticiar a violência cada vez mais presente dentro das escolas e na maioria das vezes essa violência é resultado de ciúmes entre adolescentes e até mesmo crianças e outras vezes por envolvimento com drogas e álcool.

De uma forma geral a parcela de culpa que cabe aos governos, não pode ser deixada de lado. A falta de projetos que melhorem a atuação dos órgãos de proteção da sociedade, a inércia do Poder Legislativo de criar Leis que disciplinem e que não coloquem simplesmente adolescentes dentro das prisões misturados com presos perigosos, isso somente fará com se tornem adolescentes cada vez mais perigosos. Do governo se espera ações que possam salvaguardar a integridade da população. Imprimindo nas suas diversas esferas de governo, meios que possam integrar as relações de convivência na sociedade.

O envolvimento das Igrejas, dos poderes constituídos, das entidades de classe, dos movimentos sociais e da sociedade como um todo é imprescindível para que a Família seja vista novamente como uma base sólida e capaz de mudar esse quadro que desintegra nossa comunidade.

Rever conceitos pré-moldados de que com a evolução das tecnologias, o acesso à informação, a consolidação da Democracia, passa pela ideia de que isso é assim mesmo e cada vez mais a própria sociedade vai sofrendo as consequências de não se impor regras primeiramente na família e depois estabelecer critérios de convivência entre si.

Os preceitos familiares são fundamentais para estabelecer o bom senso que ora anda fragilizado pelas conveniências da vida moderna. Estabelecer laços profundos de respeito dentro da própria família é passo primordial para uma boa convivência em sociedade. Quando o respeito interno se deteriora a tendência é que tenhamos uma sociedade mais violenta e consequentemente é um passo para tudo se desmorone.

Esse não é de maneira nenhuma um texto pronto e acabado do retrato da relação entre governo e sociedade. Cada um tem sua responsabilidade no meio social, na comunidade onde vive. Quando o meu direito é respeitado na sua plenitude, tenho que respeitar o direito dos outros, somente criticar sem apontar saídas, acho que não resolve os problemas que afligem nossa sociedade. Tenhamos nas nossas próprias ações mecanismos para identificar se estamos contribuindo para termos uma sociedade mais justa, sem sobreposição de classes e com mais respeito entre si.
 
(Valdir Nery Piauhy) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vende-se Uma Casa em Tarauacá