domingo, 3 de julho de 2011

Brasil frustra a torcida e fica apenas no 0 a 0 com a Venezuela na estreia

Com um ataque inoperante, equipe não consegue superar a defesa adversária e deixa o campo sob vaias da torcida em La Plata
Por GLOBOESPORTE.COM La Plata, Argentina
alexandre pato brasil venezuela copa américa (Foto: Agência Reuters)
Pato chutou no travessão a melhor chance da
partida contra Venezuela (Foto: Agência Reuters)
 
Não foi só a Argentina que sofreu na estreia na Copa América. Neste domingo, o Brasil ficou no 0 a 0 com a Venezuela, em La Plata, e também começou a competição com uma grande frustração. A exibição ficou longe expectativa criada em cima da Seleção, que contou com a dupla Ganso-Neymar. O ataque não funcionou, principalmente, na segunda etapa, e o time teve que ouvir as vaias de reprovação.
Com o resultado, as equipes somam um ponto no Grupo B, que ainda tem Paraguai e Equador. No próximo sábado, às 16h (de Brasília), em Córdoba, a Seleção Brasileira enfrenta o Paraguai na segunda rodada da fase de grupos.

Brasil domina, mas peca na hora de finalizar
Assim como havia sido pedido por Mano Menezes, o Brasil iniciou a partida com a marcação bastante avançada para tentar sufocar a saída de bola venezuelana. A estratégia serviu para garantir à Seleção Brasileira grande superioridade na posse de bola. A equipe chegava ao ataque, mas faltava acertar o último passe. Robinho, Neymar, Ganso e Pato tentavam entrar na área na base da tabela, mas a defesa adversária estava bem postada.

Em uma boa decida pela direta com Daniel Alves, o Brasil criou sua primeira grande oportunidade. O lateral cruzou na medida para Pato, que dominou e mandou uma bomba no travessão. Depois do lance, um cachorro entrou no gramado e o jogo precisou ser paralisado até que ele saísse. O time, no entanto, não esfriou. Mas a pontaria não estava calibrada.
Robinho também teve uma ótima chance e não conseguiu balançar a rede. Ele recebeu de Neymar e tocou na saída do goleiro, mas, antes que a bola entrasse, o zagueiro Vizcarrondo se atirou no chão e cortou com o ombro. Antes do fim da primeira etapa o Brasil ainda teve mais uma oportunidade, desta vez em jogada da dupla santista Ganso-Neymar. O camisa 10 fez ótimo lançamento e deixou o companheiro na cara do gol, mas a bola saiu à esquerda do gol de Vega.
Com a postura mais defensiva, a Venezuela pouco ameaçou no ataque, e Julio Cesar foi quase um espectador. Na saída do campo para o vestiário, o técnico da Venezuela, César Farias, tentou intimidar Neymar. Os jogadores e comissão técnica do Brasil, entre eles Mano Menezes, foram defender o atacante e criou-se uma grande confusão.
Mano tenta fazer mexidas na frente, mas ataque segue inoperante
neymar brasil venezuela copa américa (Foto: agência AP)Neymar pede pênalti, não dado (Foto: agência AP)
No retorno para o segundo tempo, o Brasil manteve a tática pressionar a saída de bola venezuelana, mas também seguiu com os erros na hora de entrar na área adversária para tentar a finalização. Por causa dessa dificuldade, o técnico Mano Menezes fez uma alteração. Colocou Fred, um atacante mais fixo na frente, e tirou Robinho, que deixou o campo vaiado.
Como o panorama não mudava e a Venezuela começava a chegar com mais frequência, Mano lançou também o jovem Lucas, do São Paulo, que já era pedido pela torcida no Ciudad de La Plata, e Elano. Os escolhidos para sair foram Alexandre Pato e Ramires.
Até os 35 minutos, o Brasil só havia chutado em gol apenas uma vez, enquanto o adversário finalizou em duas oportunidades. Neste cenário de inoperância de ambos os lados, a partida foi se arrastando até o apito final do árbitro. Os jogadores tiveram que ir para o vestiário sob o som das vaias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vende-se Uma Casa em Tarauacá