sábado, 6 de agosto de 2011

Governo cria programa para recuperar matas ciliares e nascentes

Para o senador Jorge Viana, o programa lançado por Tião é um dos mais importantes para os tempos atuais.
O objetivo do programa é integrar produtores rurais e sociedade em geral em torno da conservação e recuperação de nascentes e matas ciliares da bacia do rio Acre (Foto: Sérgio Vale/Secom)
O objetivo do programa é integrar produtores rurais e sociedade em geral em torno da conservação e recuperação de nascentes e matas ciliares da bacia do rio Acre (Foto: Sérgio Vale/Secom)

“Se não salvarmos o nosso rio vai ficar impossível a vida para os nossos netos. Já está difícil para nós. A cada ano a situação piora e não encontramos lugar certo para plantar, na época de chover não chove. A preocupação é muito grande”. As palavras sábias são do produtor Raimundo Ribeiro da Silva, que mora às margens do rio Acre. A mensagem foi dada durante a assinatura do decreto que criou o Programa de Conservação e Recuperação de Nascentes e Matas Ciliares, pelo governador Tião Viana.

“O rio Acre é uma responsabilidade de todos nós. Eu me lembro que descia o rio com a minha cachorra Duquesa, escondido da minha mãe, mas o rio era a nossa vida. Precisamos integrar empresas, gabinetes de deputados, federações para que cada um plante uma parte das árvores que as margens do rio necessita. Nossa meta é chegar a 200 quilômetros de margens plantadas”, disse o governador.


O objetivo do programa é integrar produtores rurais e sociedade em geral
O objetivo do programa é integrar produtores rurais e sociedade em geral

O objetivo do programa é integrar produtores rurais e sociedade em geral em torno da conservação e recuperação de nascentes e matas ciliares da bacia do rio Acre. “Essa é uma ação de governo que precisa ser abraçada por todos”, lembrou o deputado estadual Astério Moreira. O deputado estadual Eduardo Farias também participou do ato, como autor da lei que institui o dia 6 de agosto como aniversário do rio Acre. “É uma lei simples, mas, a intenção é trazer o debate para perto de nós. O rio era o principal meio de comunicação entre as pessoas e a Revolução Acreana foi possível por causa dele, por isso esta data”, explicou o deputado.

O rio Acre passa por Peru e Bolívia antes de chegar ao estado e terminar sua trajetória no Amazonas. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Edgard de Deus, o Acre tem 168 mil hectares de áreas de preservação permanentes (APP), das 37% estão degradadas. “Essa é uma luta que precisa intensificada, mas não adianta lutar sozinho. Qualquer prefeito que fizer uma ação que não seja integrada não terá sucesso”, observou o prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim. 

Os primeiros ribeirinhos a aderir ao programa assinaram neste sábado a adesão. “Há uma bolsa no valor de R$ 100 por mês para ajudar os ribeirinhos que tiverem necessidade. Eles serão guardiões do rio Acre. A meta é que em dez anos as matas estejam recuperadas”, disse o secretário.

Para o senador Jorge Viana, o programa lançado por Tião é um dos mais importantes para os tempos atuais. “O rio Acre não é apenas fonte de água para abastecermos nossas casas, ele é fonte de vida. Antigamente o nosso lazer era o rio e isso precisa voltar. Não temos o rio com o maior problema, grandes cidades enfrentaram situações piores e conseguiram vencer. O nosso rio ainda está vivo, embora danificado, ainda dá tempo de salvá-lo”, comentou.

fonte: agencia de noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário