sábado, 17 de setembro de 2011

O festival do “abacaxi político” em Tarauacá

A prova está nas declarações do presidente do PDT, José Luiz Tchê. “Moisés manda no PC do B.”, diz com obviedade o pedetista.
 
Luciano Tavares, para Agência ContilNet

A Frente Popular em Tarauacá está longe da tão sonhada unidade.

Nesta quinta-feira à noite, o PDT lançou o vereador Chico Batista como pré-candidato do partido à Prefeitura do município e o PT já discute internamente o lançamento também de um postulante ao cargo, frustrando o sonho dos comunistas.

O Líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Moisés Diniz (PC do B) até semana passada apostava com veemência na agregação de PT, PC do B e PDT em torno de uma possível pré-candidatura de Marilete Vitorino, atual prefeita de Tarauacá.

Pelos seus pares, os deputados pedetistas José Luiz Tchê e Walter Prado, a tal unidade ficou só na lábia, nas conversas de cappuccino, que acontecem no salão nobre da Assembleia ou na viagem de confraternização, quando tudo é concordável.

A prova está nas declarações do presidente do PDT, José Luiz Tchê. “Moisés manda no PC do B.”, diz com obviedade o pedetista.

O “rebelde PP”, por meio do vereador Cleudo Rocha, líder da prefeita,  anunciou nesta sexta-feira, que se Marilete Vitorino se filiar ao PC do B, o partido definitivamente fará campanha na oposição, podendo lança pré-candidatura solo.

Com o PT a situação não é diferente. Companheiros e camaradas são inimigos históricos no município e as feridas de brigas anteriores pelo visto ainda cicatrizaram.

Pessoas ligadas à prefeita Marilete Vitorino informam que ela desembarcou na noite desta quinta-feira, no município, esperançosa por uma unidade da Frente Popular em torno de uma pré-candidatura sua pelo PC do B.

Mas o ato de filiação de Marilete, possivelmente no dia 24 deste mês, pode ser repensado devido à desagregação da FPA. O PMDB seria o escape para a prefeita, que teria apoio dos partidos de oposição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vende-se Uma Casa em Tarauacá