domingo, 11 de setembro de 2011

Soldados da Borracha recebem apoio para a aprovação de PEC

Em 1944, aos 12 anos, Francisco de Assis Damasceno começou a cortar seringa em um seringal próximo de Sena Madureira. Trabalhava mais de 18h por dia e hoje é considerado um combatente da selva amazônica após a promulgação da Lei 12.447, de julho deste ano, que concedeu aos Soldados da Borracha o mesmo status dos Pracinhas que lutaram durante a Segunda Guerra Mundial.

Soldado-da-boracha
Ontem, em assembléia geral promovida pelo Sindicato dos Aposentados, Pensionistas e Soldados da Borracha do Acre (Siacre), eles receberam apoio e articulação da deputada federal Perpétua Almeida, relatora da PEC 556, de autoria da deputada Vanessa Graziottin. A proposta propõe a equiparação das aposentadorias desta categoria com as dos soldados que foram en-viados aos campos de batalha na Europa no período.
Participaram do ato o senador Sérgio Petecão, deputado federal Taumaturgo Lima (PT), deputado estadual Eduardo Farias (PCdoB), representantes dos deputados Márcio Bittar e Moisés Diniz. O diretor do Acreprevidência, José de Anchieta, representou o governador Tião Viana no evento.
As chuvas que caíram na noite de sexta em Rio Branco impossibilitaram o pouso da aeronave que vinha a deputada Vanessa Grazziotin. Pelo telefone, ela reiterou o compromisso de continuar lutando pela aprovação do aumento da aposentadoria dos Soldados da Borracha e anunciou apoio da bancada de senadores e deputados também do Amazonas. Votada nas comissões da Câmara Federal, a PEC depende só de aprovação no plenário da Casa.
A deputada federal Perpétua Almeida lembra que este é um esforço coletivo. “Chamei todos aqui, soldados da borracha e parlamentares, para que esta deixe de ser um luta de uma ou duas pessoas. Essa bandeira tem que ser de todos os senadores e deputados federais da bancada acreana. Se a gente não se juntar, não vamos conseguir esse aumento”, disse acompanhada do pai, de 88 anos, também soldado da borracha.
Um documento será entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e à presidente Dilma Rousseff pedindo agilidade na votação da PEC. O senador Sérgio Petecão formalizou apoio à causa e disse que irá trabalhar para conseguir o aumento das aposentadorias.
Pressa é o que Francisco Damasceno tem. Aos 79 anos,  ele quer usufruir dos mesmos direitos que os companheiros combatentes. Atualmente recebe 1 salário mínimo de aposentadoria. “Fomos soldados mesmo, trabalhei muito junto com meus irmãos, mas graças a Deus nunca passamos necessidade. Em compensação, nunca estudei e hoje nem tenho o 13º salário. Se esse aumento sair vai ser um reconhecimento do nosso esforço”, conta ele.
Durante a atividade, os soldados da borracha receberam orientações de saúde e assistencial em parceria do Siacre com alunos de Enfermagem e Assistência Social da Uninorte.
Soldados da Borracha, o filme – O cineasta César Garcia Lima, também presente à assembléia, apresentou o documentário Soldados da Borracha produzido no Acre em julho e julho de 2010. Acreano, César Garcia mora no Rio de Janeiro e já exibiu o documentário em festivais, mostras e eventos de cinema no Brasil e exterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Termina Prazo para Vistoria de Veículo de Leílão

O 2º Leilão Público de Veículos do município de Tarauacá, que foi realizado no dia 06 de julho, no auditório da Escola de Ensino Médio ...