segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Irmão do deputado Rocha é preso quando tentava retirar carro com documento falso

Sáb, 17 de Dezembro de 2011 21:30 DA REDAÇÃO
 
DentraJemmy Wuebb Fernandes da Rocha, 42 anos, irmão do deputado estadual Wherles Rocha, o major Rocha, e Jairo Felipe do Nascimento, 28 anos, foram presos na tarde de sexta-feira, 16, quando tentavam retirar das dependências do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), um veículo Fiat Uno, placas, JXJ 2778 do Estado do Amazonas, usando documento de liberação de veículo falsa. O carro foi apreendido há mais de um ano, por irregularidade na documentação.
Os dois foram encaminhados à delegacia da 5ª Regional, no bairro Adalberto Sena, onde foram autuados em flagrante por crime de adulteração de documento público e estelionato. Os envolvidos podem ser encaminhados ao presídio Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco, haja vista que o crime é inafiançável na delegacia, com pena de até seis anos de prisão.

De acordo com informações, no dia 29 de novembro passado, Jemmy conseguiu retirar um veículo apreendido do pátio do Detran, supostamente usando documento falso. O caso também vai ser investigado, pois o encarregado titular do pátio estaria de férias e o substituto não percebeu a falsificação no documento.
Jemmy e Jairo tentaram retirar o veículo que foi retido por problemas na documentação, sem sequer conhecerem o dono do automóvel, conforme as declarações de Jairo, na delegacia de flagrantes.
De posse de um documento que liberaria o carro, os dois compareceram ao Detran.

O problema é que o funcionário responsável pela liberação do carro desconfiou da assinatura no documento, datada do dia dos fatos, que seria de um servidor do órgão que se encontra em gozo de férias, há mais de 10 dias e está fora do Acre. Desconfiado, o atendente do Detran informou a direção do órgão que, checou a textura do documento e imediatamente, acionou a polícia.

A prisão foi feita pelo delegado Rodrigo Noll, que atua na 4ª Regional. “Eu tomei ciência dos documentos apresentados e ficou configurada a falsificação e foi feito o flagrante naquele primeiro momento. Dessa forma, eles foram trazidos para a delegacia de flagrantes para que o delegado de plantão dê prosseguimento nos procedimentos”, disse Rodrigo.

O delegado informou ainda que, em uma conversa preliminar feita ainda nas dependências do Detran, os dois teriam afirmado que compraram o documento por R$ 1 mil, de um suposto “Paraíba”, que alegam não saber o endereço.
A polícia investiga agora se Jemmy e Jairo atuavam sozinhos ou se já teriam praticado o mesmo crime outras vezes. A suspeita é que os dois pertençam a uma quadrilha especializada nesse tipo de crime e de roubo de veículos.

fonte: agazetadoacre.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário