quinta-feira, 17 de maio de 2012

Governo entrega projeto de financiamento de R$ 213 milhões para o Fundo Amazônia


Fundo-do-prejetoUma equipe do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está no Acre para acompanhar o andamento dos projetos financiados pelo Fundo Amazônia. O governador Tião Viana aproveitou o momento e entregou, nas mãos do diretor da instituição, Guilherme Lacerda, um novo projeto de financiamento no valor de R$ 213 milhões, que contempla ações de produção sustentável, gestão ambiental e atividades produtivas em comunidades indígenas e ribeirinhas.
Hoje, segundo o secretário de Planejamento, Márcio Veríssimo, o Fundo Amazônia é fonte de financiamento de um projeto de R$ 66 milhões em produção sustentável e aprovou um projeto de R$ 13 milhões que será executado pelo Corpo de Bombeiros, para evitar desmatamentos em áreas ocupadas por comunidades tradicionais.

“As principais ações financiadas pelo Fundo Amazônia estão voltadas para a produção sustentável, mas o BNDES tem projetos financiados em várias áreas com o Acre. Com o projeto de financiamento que será aprovado este ano, completaremos R$ 2 bilhões investidos na última década. É uma parceria importante, de longa data, e que demonstra a credibilidade do governo diante do banco, que só nos apoia porque temos resultados positivos”, comentou Veríssimo.

O governador Tião Viana abriu a reunião apresentando alguns resultados obtidos a partir de financiamentos do BNDES, ressaltando a importância da parceria para o Estado. Ele aproveitou para ressaltar o objetivo do governo. “Queremos assegurar o desenvolvimento florestal, afirmando as indús-trias com essa base como uma atividade útil ao país. Temos todo um mercado andino ao nosso redor que pode comprar os nossos produtos, mas ainda não temos uma escala industrial. Estamos preparando a infraestrutura e agora a meta é avançar. O apoio do banco tem sido fundamental até aqui, e é um grande orgulho ver os resultados dessa parceria”, disse.
O diretor do BNDES, Guilherme Lacerda, comprometeu-se a viabilizar a liberação de recursos, principalmente para as obras de saneamento, o mais rápido possível, entendendo a situação de um Estado amazônico, que precisa aproveitar o período do verão para avançar com as obras.

“Esta não é apenas uma reunião de trabalho para avaliar o andamento dos projetos. As coisas estão indo bem e por isso mesmo não podemos baixar a guarda. Além de fazer bem feito, precisamos mostrar aos outros Estados, e isso não é propaganda, é um referencial”, disse Lacerda.

O Acre foi o primeiro Estado a apresentar um projeto amplo e organizado de financiamento ao BNDES. “O projeto do Acre é emblemático para nós. Referencial seria a palavra-chave do Acre. Para cada projeto nós temos um conjunto de indicadores que mostram se a meta será alcançada ou não. Já estamos caminhando para a finalização de alguns projetos e os indicadores, como número de famílias atingidas, por exemplo, já mostram que os resultados propostos serão alcançados. Alguns, inclusive, serão superados”, disse o superintendente do Fundo Amazônia, Sergio Wenguelin.

(Agência Acre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vende-se Uma Casa em Tarauacá