quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Secretaria de Educação traça metas para melhorar índices do ensino médio

EVELY DIAS
 
Secretário de Estado de Educação Daniel Zen
 
O Secretário Estadual de Educação Daniel Zen apresentou, na manhã de ontem, as propostas para avanços no Ensino Médio. Na última terça-feira Daniel esteve em Brasília representando o Conselho de Secretários de Educação. Participou da audiência na Comissão Especial de Reforma do Ensino Médio na Câmara dos Deputados.
 
A comissão foi formada, depois dos resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Em todo o país, apenas o ensino fundamental apresentou resultado positivo. A partir do resultado, audiências e seminários serão realizados em todos os Estados. No Acre, os deputados federais Sibá Machado e Henrique Afonso irão coordenar, expandido o debate aos gestores, alunos e professores.
 
Uma dos avanços é a alteração do horário das aulas dos alunos do Ensino Médio, explicou o secretário. “A secretaria ampliou o horário de permanencia na escola, para expor aos alunos conteúdos significativos. A ideia com a proposta de introdução de disciplinas como componentes curriculares integradores é que a gente possa fazer a tão sonhada interdisciplinaridade e a transversalidade entre as diferentes disciplinas e componentes”.
 
A 5ª hora é como se fosse um 6º tempo de aula. Durante o ano, os alunos terão mais de mil horas de aula. “Queremos conseguir também com essa 5ª hora reforçar a carga horária de Língua Portuguesa, com foco na produção textual e no reforço das práticas de leitura e na Matemática, com foco nas habilidades e capacidade de numeramento, onde observamos que são essenciais para o desdobramento da disciplina como todo. A princípio, será implantada no 3º ano do ensino médio, reforçando a qualificação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), vestibulares e concursos públicos. A cada ano iremos levar para as outras séries”, disse Daniel.
 
Outra proposta tratada na audiência é de expandir a educação integral e de tempo integral. “Outro objetivo é dar um passo mais consistente e efetivo na educação de tempo integral, com jornada dupla, com mínimo de 7 horas/aula. Infelizmente não é possível realizarmos de imediato. O melhor caminho para chegar na educação integral, de acordo com a nossa análise e avaliação de acordo com experiências de outros Estados, é com a introdução da 5ª hora. Queremos qualificar a carga horária e dos conteúdos, com uma nova organização curricular, que vai permitir um aprendizado cada vez mais curriculado, conseguindo superar a lógica da fragmentação do conhecimento”, concluiu.
 
fonte: agazetadoacre.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário