quinta-feira, 30 de maio de 2013

Ocupação aos olhos do poder público



Desde o ano passado um terreno da prefeitura localizado ao lado da cerâmica municipal no bairro do Ipepaconha, foi cedido para alguns moradores que moravam em áreas de desbarrancamento. A prefeitura até que começou desmontar as casas e fazer a transferência para esse terreno. Mas depois não deu continuidade e outras muitas pessoas foram “entrando” de forma totalmente irregular e construindo as suas moradias.
 
A cada dia que passa mais e mais casas são levantadas desordenadamente, sem nenhuma infraestrutura para a instalação de ruas, calçadas, praça e área de lazer. Existe no governo federal um programa grandioso que é minha casa, minha vida destinado para construção de unidades habitacionais para famílias carentes, o que já ouvi falar é que a prefeitura já se inscreveu e tem um projeto para construção de 120 unidades.
No nosso município existem várias áreas que as pessoas foram construindo suas moradias sem se preocupar com a infraestrutura necessária como água tratada, luz, esgoto, ruas para se locomover, áreas de lazer e somente depois é que começam a cobrar o poder público para que todos esses serviços sejam implementados. Por outro lado o poder público não barra essas ocupações irregulares. A cidade não só precisa de um plano diretor, mais precisa de um pacote de obras de infraestrutura para tirar a nossa cidade dessa situação de abandono que tomou conta há vários anos.










Nenhum comentário:

Postar um comentário