segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Temendo “golpe” de Dilma, soldados da borracha pedem ajuda de Sebastião

Luciano Tavares – da redação de ac24horas -lucianotavares.acre@gmai.com

 
Sebastião Viana recebeu os representantes dos soldados da borracha
Sebastião Viana recebeu os representantes dos soldados da borracha

Às vésperas da votação na Câmara dos Deputados da PEC 556, que aumenta de 2 para 7 salários mínimos a pensão dos soldados da borracha, representantes do movimento em defesa do benefício temem que a proposta seja votada com uma alteração em seu texto original.
 
De última hora o governo teria apresentado uma contraproposta de 3 salários mínimos, mudando a proposta de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM) que tramita no Congresso Nacional há 11 anos.
 
Na manhã desta segunda-feira, líderes do Movimento Pró-Soldados da Borracha se reuniram na Casa Civil com o governador Sebastião Viana para pedir apoio em favor da classe.
 
Na reunião, o coordenador do Movimento, Luziel Carvalho falou ao governador sobre a preocupação com a intenção do governo federal e mostrou as dificuldades financeiras vividas pelos aposentados que atualmente recebem apenas dois salários mínimos.
 
“Não dá sequer para comprar remédio, e muitos desses soldados precisam complementar seus ganhos com outras atividades. Mas estamos aqui governador porque o senhor tem se mostrado uma pessoa sensível a essas causas. Tanto que o senhor ajudou os hansenianos quando foi senador e sempre tem pautado sua vida política em defesa dessas causas sociais”, disse Luziel Carvalho.
 
Em todo país, 12 mil soldados da borracha esperam pelo beneficio. A maioria é do Acre. Só no estado são pouco mais 7, 3 mil, segundo o representante da classe.
O governador Sebastião Viana prometeu interceder pelos soldados da borracha, mas tirou a culpa do governo federal. Para o governador, o Congresso está cedendo às pressões do Planalto.
 
“Se alguém não quer votar é o Congresso. A culpa é do Congresso Nacional, vamos botar os pingos no “is”. E o Congresso tem que fazer o que é pra fazer. Se é orçamento dói, mas passa. Até porque vocês são verdadeiros heróis da pátria, de uma aliança. Vou conversar com o presidente Henrique Eduardo Alves e também entrarei em contato com o senador Renan Calheiros para interceder, apesar de que isso foge das nossas mãos”, disse o governador Sebastião Viana.
 
Também durante a reunião, os representantes do Movimento pediram ao governador prioridade no atendimento de saúde para os soldados da borracha, a execução de um programa habitacional específico e ainda que o governador marque uma audiência com a presidenta Dilma Rousseff e a classe.
Sebastião Viana disse que a própria lei prevê atendimento prioritário para pessoas com idade acima de 65 anos e prometeu melhorar o atendimento aos idosos.
 
Ele também informou que irá trabalhar junto ao setor social do Estado para atender os soldados da borracha nos programas de habitação do governo e sobre a audiência com Dilma Rousseff, disse que irá encaminhar um ofício com o pedido à presidência da república.

Nenhum comentário:

Postar um comentário